jusbrasil.com.br
25 de Outubro de 2020

Construtora deverá pagar aluguéis a comprador por atraso na entrega de imóvel

Decisão é da 5ª turma julgadora da 5ª câmara Cível do TJ/GO.

Dica De Ouro, Advogado
Publicado por Dica De Ouro
há 10 meses

Construtora deverá pagar lucros cessantes relativos aos aluguéis de comprador por causa do atraso na entrega de apartamento. A decisão é da 5ª turma julgadora da 5ª câmara Cível do TJ/GO.

t

O autor alegou que em outubro de 2013 fez contrato com a construtora para a compra de um apartamento com previsão de entrega do imóvel para novembro de 2016. No contrato, havia cláusula de prorrogação da entrega em 180 dias.

O comprador afirmou que cumpriu todas as suas obrigações, mas a empresa não cumpriu com a entrega do imóvel, o que lhe trouxe prejuízos emocionais, morais e materiais, visto que ele ainda precisa pagar os aluguéis de sua atual residência enquanto deveria receber possíveis aluguéis do novo imóvel.

O autor sustentou que a cláusula de prorrogação de entrega em 180 dias é nula e pediu a concessão de liminar para determinar à construtora o pagamento da quantia relativa a condomínios já pagos por ele, no valor de R$ 15,8 mil, e dos aluguéis vincendos até a entrega do imóvel.

A juíza de Direito Lília Maria de Souza, da 1ª vara Cível de Rio Verde, afirmou que restou incontroverso que o prazo para entregar o imóvel fora pactuado para o mês de novembro de 2016, com tolerância de 180 dias, prazo este que se findou em maio de 2017. No entanto, pontuou a magistrada, a construtora ainda não entregou o imóvel alegando grave crise financeira.

A julgadora afastou qualquer abusividade, ilegalidade e violação do princípio da boa-fé contratual na pactuação de cláusula de tolerância nos contratos de compra e venda na planta. Porém, considerou que a construtora não comprovou a ocorrência de caso fortuito ou força maior que autorizariam uma nova prorrogação na data de entrega do imóvel.

Assim, reconheceu o direito ao autor de receber os lucros cessantes concernentes no valor dos aluguéis, pela estimativa de imóvel equivalente, desde o mês seguinte previsto para a entrega da obra até a entrega das chaves, além de multa por descumprimento contratual.

Contra a decisão, a construtora interpôs recurso. A 5ª turma julgadora da 5ª câmara Cível do TJ/GO, contudo, manteve a sentença em seus próprios termos.

Os advogados Murilo Sousa e Silva e Yasmin Terra Ferreira atuaram na causa pelo comprador.

  • Processo: 5406217.64.2017.8.09.0137

Fonte: Migalhas

Ver Mais:

📍 Conheça a tese da Cobrança do Saldo PASEP dos Servidores Públicos - Material p/ Advogados Atualizado 2019 + 6 Bônus

📍 Saiba como comprar seu carro zero KM com desconto de até 30% e Fique livre de IPI, IOF, ICMS e também IPVA!

📍 Kit com 30 MIL petições nas áreas Cível, Trabalhista, Criminal, Previdenciário, Constitucional, Empresarial, Tributário, Administrativo, entre outras e + 8 bônus Exclusivos

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)